19/11/2021

Inovar é experimentar



As constantes transformações no setor de logística, levando as empresas a buscarem novas ferramentas para manter a competitividade e a produtividade, clamam para que as entidades representativas do setor privado também encontrem novas formas de participação nos debates sobre o tema. 


A pandemia exigiu mudanças rápidas nas operações e uma das soluções encontradas pelos Operadores Logísticos (OLs) foi a parceria com startups e logtechs, de forma que a tecnologia e a inovação possam contribuir para que as empresas atendam às expectativas e às demandas cada vez mais elaboradas e complexas apresentadas por seus clientes e consumidores. Dentro desse cenário, é fundamental que as empresas estejam prontas para conhecer as mudanças que possam somar ou mudar a sua cultura, e criar espaços de diálogo para que essas transformações sejam devidamente absorvidas pelos funcionários e colaboradores. 


No início de novembro a ABOL realizou o evento "Inovação e Novas Tecnologias no Mundo da Logística", cujo objetivo era exatamente trazer logtechs e startups para mais perto dos OLs, mostrando que entidades representativas podem ser uma agente estratégico na promoção de novas empresas, principalmente brasileiras. Esse tipo de encontro contribui para inserir a instituição no ecossistema de startups e até mesmo fazer com que os OLs se sintam mais confortáveis em experimentar novas alternativas para expandir o seu negócio. 


Como afirmado anteriormente, quando se trata de levar mais tecnologia e inovação às empresas, uma mudança cultural deve acontecer anteriormente ou em paralelo  - e os associados da ABOL estão cientes dessa necessidade. Um dos questionamentos feitos durante o evento foi como conseguir implantar a cultura de startups e de ideias inovadoras e algumas vezes disruptivas em empresas extremamente convencionais ou tradicionais? 


A cultura entre os funcionários deve ser a de estar sempre abertos para que a empresa receba e tire o melhor proveito das novidades e do que ainda está por vir, lembrando que nem sempre a tecnologia precisa ser o elemento preponderante do processo de inovação. Para inovar, não é necessário tecnologia, e ela deve começar dentro de casa por meio de um trabalho interno bem direcionado cujo escopo seja: pessoas que relatam o problema e pessoas que o solucione. Experimentação é a ordem da inovação. O objetivo é sempre alcançar mais agilidade e flexibilidade dentro dos diferentes segmentos da empresa. Uma startup não se alia apenas ao setor de TI, por exemplo. Inovar também é conectar interseções e construir de forma multidisciplinar, e é por isso que os Operadores Logísticos não se limitam às logtechs. 


Há startups que apresentam soluções para outros nichos e que podem ser extremamente úteis e adaptáveis à realidade dos Operadores Logísticos, a exemplo daquelas desenvolvidas para o mercado de laboratórios, que dificilmente teriam sido pensadas de forma específica e direcionada para o setor de logística. 


A associada à ABOL, UPS, por exemplo, está investindo milhões de dólares em novas startups voltadas à área de Recursos Humanos (RH), com foco nas pessoas, já que ter funcionários motivados a buscarem a inovação é uma das prioridades da empresa. Essa iniciativa reitera a teoria de que a inovação não está relacionada somente à otimização da carga ou aumento de produtividade, mas sim ao negócio de modo geral. Nesse contexto, muito se fala também nas startups e inovações destinadas ao ESG (ambiental, social e governança, da sigla em inglês). Elas garantem perenidade, compromisso e comprometimento aos negócios. As startups, que operam no braço ambiental, desenvolvem soluções, principalmente, para gestão de energia e mobilidade elétrica, e logística.


Outras associadas, como Sequoia, BBM, Coopercarga, Tegma, Santos Brasil e DHL vêm investindo pesadamente em empresas que se propõem a trazer soluções voltadas ao e-commerce, ao last mile, ao gerenciamento da carga, dentro outros, seja por meio de aquisição de startups, seja por criação e desenvolvimento interno de empresas transversais. Inovação é para todos e precisa ser democratizada. 


SOBRE ABOL


A ABOL - Associação Brasileira de Operadores Logísticos tem como propósito consolidar a atividade do Operador Logístico no Brasil, fortalecendo  institucionalmente esse importante mercado. Criada em 2012, a Associação reúne os 29 maiores players do setor, empresas nacionais e estrangeiras das mais diversas cadeias produtivas.Mais informações: www.abolbrasil.org.br 


Assessoria de Imprensa – ABOL 


Conteúdo Empresarial – Comunicação & Marketing
(11) 3230-7434 / (13) 3304-7437


Atendimento à Imprensa
Lyne Santos - lyne@conteudoempresarial.com.br
(13) 99653-3633

Jornalista Responsável
Érica Amores - erica@conteudoempresarial.com.br 



Notícias Relacionadas

17/05/2022

Metaverso, blockchain e drones irão redefinir o setor logística?

Tecnologias como metaverso, blockchain e o uso de drones cada vez mais ganham espaço quando o assunto é investimento em inovação em diversos segmentos e no setor de logística. Atentos às (...)

Leia mais

17/05/2022

Participação de mulheres na logística contribui para  acelerar paridade de gênero

Dados do Fórum Econômico Mundial apontam que deve levar em torno de 136 anos para que a paridade de gênero se torne uma realidade. Diante dessa estimativa, que está relacionada à partici (...)

Leia mais

17/05/2022

Operadores Logísticos contrataram mais de 13 mil profissionais em 2021

Os maiores Operadores Logísticos (OLs) do País, filiados à ABOL - Associação Brasileira dos Operadores Logísticos, contrataram, aproximadamente, 13 mil novos colaboradores em 2021, segun (...)

Leia mais

© 2022 ABOL - Associação Brasileira de Operadores Logísticos. CNPJ 17.298.060/0001-35

Desenvolvido por: KBR TEC

|

Comunicação: Conteúdo Empresarial

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.