05/03/2021

Rumo espera retomar participação de mercado no Mato Grosso, diz executivo

 Rumo espera retomar participação de mercado no Mato Grosso, diz executivo


A Rumo, empresa de logística do grupo Cosan, espera retomar sua fatia no mercado logístico de exportações de grãos do Mato Grosso, afirmou o vice-presidente financeiro da companhia, Ricardo Lewin.

No ano passado, a Rumo teve uma participação de 44% no mercado. A projeção, divulgada nesta quinta-feira, é chegar a 2025 com uma fatia de 50% — considerando que o mercado também vai crescer 29%, em termos de volume, no período.

“Em 2020, observamos uma queda no preço de combustíveis, que permite ao caminhão reduzir preço, o que pressionou o market share e a negociação de tarifas da Rumo. Para 2021, os preços já retomaram, havendo expectativa mais favorável à ferrovia. Outro fator é relação de demanda por frete.Com a pavimentação da BR-163, houve expansão da oferta logística, então a safra de milho não apresentou expansão. Em 2021, há forte demanda no início da safra, o que tem levado a um aumento dos preços. As condições já são mais favoráveis que as de 2020”, afirmou.

“Em 2020, também convivemos com a BR-163 pavimentada, mas sem pedágio. O governo pretende concluir o leilão até o primeiro semestre, então o custo de caminhões para Norte deve ser fortemente impactado”, completou.

Pelas projeções, a Rumo também deverá chegar a participação de mercado de 60% na exportação de grãos dos Estados de Goiás e Tocantins, com a inauguração da Malha Central (Ferrovia Norte-Sul).

Hoje, a companhia começa a operar oficialmente a Ferrovia Norte-Sul, corredor ferroviário concebido nos anos 1980 e que será enfim concluído em 2021. A movimentação de cargas começará pelo trecho sul da via, mas, até o fim do ano, toda a malha já estará em funcionamento.

Mais cedo, a Rumo divulgou que projeta transportar um volume entre 72 bilhões e 76 bilhões de toneladas transportadas por quilômetro útil (TKU) no ano de 2021.

Para este ano, a companhia também prevê um Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) entre R$ 4 bilhões e R$ 4,4 bilhões, e investimentos entre R$ 3,3 bilhões e R$ 3,9 bilhões.

Para 2025, a companhia pretende transportar entre 99 bilhões e 109 bilhões de TKUs, um Ebitda entre R$ 7 bilhões e R$ 8 bilhões e investimentos entre R$ 16,50 bilhões e R$ 18,50 bilhões acumulado de 2021 até 2025.

“Imprescindível informar também que as projeções financeiras e operacionais poderão sofrer revisões ao longo do ano. Neste caso, as possíveis revisões serão reapresentadas e divulgadas ao mercado”, diz a empresa no comunicado divulgado mais cedo nesta quinta-feira.

Novos projetos

A Rumo avalia que novos projetos ferroviários não impactarão a operação da empresa no curto prazo. A companhia não incluiu essa perspectiva em suas projeções até 2025, divulgadas nesta manhã.

Em relação à Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), cuja primeira etapa será leiloada em abril pelo governo federal, a Rumo pondera que, ao menos pela próxima década, a ferrovia não trará concorrência, afirma Lewin.

O primeiro trecho da Fiol, que será licitado neste ano, vai de Ilhéus (BA) a Caetité (BA). O plano de longo prazo é que a via se conecte com a Norte-Sul, mas ainda não há previsão para essa extensão.

Em relação à Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico), cuja primeira etapa será construída pela Vale, no âmbito de seu processo de renovação antecipada, o executivo afirma que também não haverá competição nos próximos anos. A ferrovia também deverá conectar o Mato Grosso à Norte-Sul.

“A Fico, que deve conectar o Mato Grosso no primeiro estágio, vai acontecer depois de 2025, portanto não está incluído na nossa projeção. Agora, para o segundo estágio da Fico, estamos falando de um prazo muito longo. É um projeto complexo que vai levar uma década ou até mais para acontecer”, afirma.

Notícias Relacionadas
 CNT realiza pesquisa para avaliar o impacto das enchentes no Rio Grande do Sul sobre as empresas

24/05/2024

CNT realiza pesquisa para avaliar o impacto das enchentes no Rio Grande do Sul sobre as empresas

Para que a CNT (Confederação Nacional do Transporte) desenvolva medidas de apoio mais eficazes aos transportadores impactados pelas enchentes no Rio Grande do Sul, a Confederação está re (...)

Leia mais
 Estudo sobre frotas sustentáveis aponta inovação e investimento sem precedentes em momento de transição energética ativa

24/05/2024

Estudo sobre frotas sustentáveis aponta inovação e investimento sem precedentes em momento de transição energética ativa

Agora em sua quinta edição, o relatório State of Sustainable Fleets 2024, divulgado nesta segunda-feira (20), lança luz sobre um setor que está passando por um momento de transição ativa (...)

Leia mais
 JSL investe em simulador de direção para mais segurança dos motoristas

23/05/2024

JSL investe em simulador de direção para mais segurança dos motoristas

Com foco na segurança e treinamento de sua equipe de motoristas, a JSL, empresa com o maior portfólio de serviços logísticos do país, investiu R$ 2 milhões na aquisição de um simulador d (...)

Leia mais

© 2024 ABOL - Associação Brasileira de Operadores Logísticos. CNPJ 17.298.060/0001-35

Desenvolvido por: KBR TEC

|

Comunicação: Conteúdo Empresarial

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.