25/08/2020

BYD inicia produção de baterias para veículos elétricos

 BYD inicia produção de baterias para veículos elétricos



_Empresa chinesa que já produz chassis para ônibus 100% a bateria investe R\$ 15 milhões em fábrica em Manaus que, no futuro, também poderá fazer baterias para automóveis_

A BYD, montadora de chassis para ônibus elétricos em Campinas (SP), iniciou neste mês a produção de baterias inicialmente para seus veículos, mas no futuro também poderá atender outras fabricantes. A fábrica no Polo Industrial de Manaus (AM), a primeira desse tipo de bateria no País, deve produzir 272 unidades até novembro – que vão equipar ônibus já encomendados por clientes da marca –, mas sua capacidade é de mil unidades ao ano.

Nessa primeira fase de operação foram investidos R\$ 15 milhões apenas em maquinários, como soldas automatizadas, mas há planos para uma segunda fase, com produção de baterias para caminhões elétricos, e uma terceira, para sistemas estacionais que são usados, por exemplo, pelo setor elétrico em momentos de pico de abastecimento. No longo prazo a empresa também poderá produzir baterias para automóveis.

A operação tem cerca de 70 funcionários, mas a intenção é ampliar para 200 nos próximos meses. Inicialmente, apenas 30% dos componentes da bateria são nacionais, porcentual que deve chegar a 50% entre 2022 e 2023.

Os primeiros veículos que deverão ser equipados com a bateria são 12 ônibus elétricos articulados de 22 metros cada encomendados pela prefeitura de São José dos Campos (SP), que terão chassis da BYD e carrocerias da Marcopolo. Segundo a BYD, além de não emitir poluentes, o gasto com abastecimento de um ônibus elétrico equivale a 25% ao de um modelo a diesel.

As baterias são de fosfato de ferro-lítio, consideradas mais seguras do que outros tipos de químicas de lítio. “O início dessa produção coloca o Brasil no radar internacional da corrida das tecnologias para o futuro”, diz Adalberto Maluf, diretor de Marketing e Sustentabilidade da BYD. Ele vê a iniciativa como um avanço, apesar de o Brasil ainda ter um mercado muito pequeno de veículos elétricos e híbridos

No ano passado, segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), foram vendidos no País 11.858 veículos híbridos e elétricos. Neste ano, até julho, foram 9.236 unidades. Além do potencial futuro para o mercado automotivo, Maluf lembra que só as reservas de lítio da Argentina, Bolívia, Brasil e Chile estão entre as maiores do mundo e, “é por isso que a BYD está investindo no Brasil”.

Laboratório fotovoltaico
Na semana passada a empresa chinesa, que também produz em Campinas placas voltaicas para energia solar, inaugurou seu Laboratório Fotovoltaico, com investimentos de R\$ 7 milhões. O laboratório fará testes de novas tecnologias e tem uma miniusina solar, em parceria com o grupo Royal FIC e o Instituto Eldorado, além de estação meteorológica para estudos de vários tipos de módulos fotovoltaicos de acordo com o clima e a temperatura de cada região do País.

Ao mesmo tempo, a BYD doou R\$ 5 milhões em equipamentos para a Universidade de Campinas (Unicamp) para um laboratório similar, a ser inaugurado nos próximos meses, mas focado em pesquisas acadêmicas de novos materiais e diferentes aplicações, entre outras.

Instalada no Brasil em 2015, a primeira fábrica local do grupo, tem capacidade anual para 750 chassis de ônibus elétricos e possibilidade de dobrar esse número se houver demanda. Atualmente, contudo, a produção está na casa de 300 e 350 unidades.

Maluf lembra que, no ano passado, foram vendidos 1.045 ônibus elétricos na América do Sul, mas todos pela matriz chinesa. Em razão da alta carga tributária brasileira, a unidade local não tem competitividade para atender esse mercado.

Fonte: O Estado de S.Paulo

Notícias Relacionadas
 ABOL participa de Congresso sobre o mercado de carbono

20/05/2022

ABOL participa de Congresso sobre o mercado de carbono

A ABOL marcou presença no Congresso Mercado Global de Carbono, que teve início na última quarta-feira (18), no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro. A Associação foi representada pela dire (...)

Leia mais
 Pesquisa sobre Mulheres na indústria marítima mostra desigualdade entre gêneros

20/05/2022

Pesquisa sobre Mulheres na indústria marítima mostra desigualdade entre gêneros

O emprego feminino continua baixo em funções marítimas, de acordo com dados da IMO e da primeira pesquisa de mulheres no mar da WISTA. Mas a representação feminina é forte em alguns seto (...)

Leia mais
 BBM Logística segue em forte ritmo de expansão e atinge novo recorde de faturamento

20/05/2022

BBM Logística segue em forte ritmo de expansão e atinge novo recorde de faturamento

A BBM Logística, um dos maiores operadores logísticos do modal rodoviário do Mercosul, anunciou recentemente os resultados do 1º Trimestre do ano de 2022, que foi marcado pelo faturament (...)

Leia mais

© 2022 ABOL - Associação Brasileira de Operadores Logísticos. CNPJ 17.298.060/0001-35

Desenvolvido por: KBR TEC

|

Comunicação: Conteúdo Empresarial

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.