05/10/2022

Tegma inicia operações com uso de energia limpa

 Tegma inicia operações com uso de energia limpa



A Tegma Gestão Logística, liderada pela sua aceleradora de startups e inovações TegUP e em parceria com a Plug.in Mobility, startup que realiza o transporte de veículos utilizando caminhões movidos a energia elétrica, iniciou, ainda em caráter experimental, a utilização de caminhões plataformas 100% elétricos para a locomoção de cargas leves e em distâncias curtas. Dessa forma, a operadora logística começa a avaliar as potencialidades e os benefícios dessa alternativa não poluente para realizar o transporte de veículos.


Um dos pontos que estão sendo observados é a autonomia de percurso. A Plug.in Mobility desenvolveu um sistema de recarga que possibilita duplicar a autonomia, dos 200 km normalmente alcançada pelos veículos elétricos, para 400 km. 


“Como a infraestrutura e a disponibilidade para recarga de veículos elétricos no Brasil está em desenvolvimento, mas deve ser ampliada de forma significativa nos próximos anos, é fundamental, neste momento, um planejamento logístico que vise o atendimento de rotas fixas, acompanhado da definição dos locais de parada para recarga do pack de baterias, conforme autonomia do equipamento que será utilizado para realizar o transporte”, diz José Renato Ferreira, gerente de Projetos da Divisão de Logística de Veículos da Tegma.


Esse modelo de caminhão plataforma elétrico também será testado pela Tegma, dentro da parceria com a Plug.in Mobility, para a locomoção de cargas especiais. Está em estudo, por exemplo, a implantação de plataforma fechada para levar carros-protótipos de montadoras. 


Carretas cegonhas


A parceria entre as empresas estuda, ainda, a possibilidade de adaptação para o uso de energia elétrica no lugar de diesel dos cavalos mecânicos que transportam um número maior de veículos, as chamadas cegonhas. 


A Plug.in Mobility também desenvolveu um carregador rápido, denominado Super Charger, que permite recarregar a bateria em apenas duas horas. Normalmente o processo demora entre 12 e 14 horas. Essa adaptação aponta uma autonomia de 600 km, cobrindo, assim, distâncias maiores e aumentando a produtividade.


Segundo José Carlos de Souza Filho, gerente de Inovação da Tegma, a iniciativa está alinhada à preocupação da companhia com a sustentabilidade. “A empresa vê no uso de energia limpa uma possibilidade concreta de contribuir para a redução da poluição e preservação do meio ambiente”, destaca.


Fonte: Tecnologística



Notícias Relacionadas
 Multilog faz mais uma aquisição e antecipa marca do bilhão

02/12/2022

Multilog faz mais uma aquisição e antecipa marca do bilhão

Cinco meses depois de comprar a Martins & Medeiros, a Multilog acaba de fechar a aquisição da Apoio Logística, que pode adicionar mais 15% de faturamento no ano que vem. A operadora (...)

Leia mais
 Wilson Sons, Hidrovias do Brasil e Santos Brasil realizam evento inédito para debater perspectivas do setor

02/12/2022

Wilson Sons, Hidrovias do Brasil e Santos Brasil realizam evento inédito para debater perspectivas do setor

Pela primeira vez na história do mercado financeiro brasileiro, a Wilson Sons (PORT3), Hidrovias do Brasil (HBSA3) e Santos Brasil (STBP3), companhias listadas no segmento do Novo Mercad (...)

Leia mais
 CNT lança análise dos investimentos públicos federais em infraestrutura de transporte de 2001 a 2021

01/12/2022

CNT lança análise dos investimentos públicos federais em infraestrutura de transporte de 2001 a 2021

Em quais finalidades foram aplicados os investimentos públicos federais em infraestrutura de transporte nos últimos 21 anos? Quais as fontes de recursos para a área e qual a sua destinaç (...)

Leia mais

© 2022 ABOL - Associação Brasileira de Operadores Logísticos. CNPJ 17.298.060/0001-35

Desenvolvido por: KBR TEC

|

Comunicação: Conteúdo Empresarial

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.