07/02/2024

Sistema de logística reversa da Andreani: Mais de 170 toneladas de produtos destinados corretamente em 2023

 Sistema de logística reversa da Andreani: Mais de 170 toneladas de produtos destinados corretamente em 2023



O sistema de logística reversa da Andreani tem desempenhado um papel fundamental na destinação adequada de mais de 170 toneladas de produtos ao longo do ano de 2023. Esse recurso tem sido vital para mitigar os impactos decorrentes da devolução de cargas ao remetente, seja devido a lotes próximos ao vencimento, pedidos em desacordo pela distribuidora ou danos durante o transporte ou armazenamento.


Especializada no atendimento à indústria farmacêutica, equipamentos médicos e dermoscosméticos, a operadora argentina conta com uma equipe sênior dedicada exclusivamente a lidar com essas ocorrências e garantir o retorno das cargas no menor prazo possível.


"Oferecemos o serviço dentro do pacote já contratado pelos nossos clientes regulares, mas também disponibilizamos a logística reversa sob demanda para clientes esporádicos", explica Luciano Galvão de Barros, gerente de transportes da companhia.


O trânsito reverso das mercadorias é predominantemente realizado pelos modais aéreo e rodoviário, dependendo da urgência e do valor do material a ser transportado. No entanto, questões fiscais que variam por região tornam o processo mais ou menos oneroso conforme o estado, enquanto o recolhimento de carga nessas circunstâncias é ainda mais complexo devido às disponibilidades de malhas aéreas e rodoviárias.


"Para despachar as mercadorias de São Paulo para o Nordeste, por exemplo, há uma regularidade de malha aérea que facilita o serviço. Por outro lado, o caminho inverso é mais delicado, uma vez que os voos geralmente incluem escalas até chegar ao destino final", destaca Barros.


O processo de logística reversa é acionado quando o destinatário recusa um lote de medicamentos, notificando imediatamente o laboratório para autorizar o retorno à sua origem. Além disso, a Andreani atua quando a empresa recebe a mercadoria, mas não consegue comercializar todo o estoque ou precisa fazer uma renegociação com a indústria.


A agilidade nesses processos evita que a carga permaneça parada e ocupe espaço desnecessariamente nos centros de distribuição. Ao retornar para o galpão da Andreani, a carga passa por uma avaliação pela equipe de controle de qualidade da indústria farmacêutica, decidindo se é viável reincorporá-la para venda ou se deve ser encaminhada para descarte. Em caso de descarte, a empresa cuida do transporte para empresas de incineração homologadas.


Fonte: Tecnologística



Notícias Relacionadas
 Estradas bloqueadas ainda retardam a retomada da indústria em RS

13/06/2024

Estradas bloqueadas ainda retardam a retomada da indústria em RS

Indústrias no Rio Grande do Sul estão retornando paulatinamente a sua produção anterior às enchentes que assolaram o Estado no início de maio. Para uma retomada plena, no entanto, as emp (...)

Leia mais
 DHL Express anuncia investimento de R$ 23 milhões em novo Gateway no Aeroporto de Viracopos

11/06/2024

DHL Express anuncia investimento de R$ 23 milhões em novo Gateway no Aeroporto de Viracopos

A DHL Express está investindo R$ 23 milhões em um novo Gateway no Aeroporto de Viracopos em Campinas (SP). Este novo centro de processamento de cargas importadas será o maior da DHL Expr (...)

Leia mais
 Tegma divulga Relatório Integrado sobre suas práticas ASG

11/06/2024

Tegma divulga Relatório Integrado sobre suas práticas ASG

Pelo segundo ano consecutivo, a Tegma Gestão Logística elaborou e apresenta ao mercado seu Relatório Integrado, relacionando em detalhes as ações desenvolvidas pela companhia em sustenta (...)

Leia mais

© 2024 ABOL - Associação Brasileira de Operadores Logísticos. CNPJ 17.298.060/0001-35

Desenvolvido por: KBR TEC

|

Comunicação: Conteúdo Empresarial

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.