10/03/2021

Magazine Luiza vê 2021 como ano da logística, vai elevar investimento orgânico

 Magazine Luiza vê 2021 como ano da logística, vai elevar investimento orgânico


O grupo de varejo Magazine Luiza deve investir mais em logística em 2021 para reduzir tempos de entrega de produtos próprios e vendidos por lojistas que usam sua plataforma de comércio eletrônico, enquanto dá mais atenção a novas categorias de produtos como mercados e delivery de refeições.

"Supermercado atrai frequência. É absolutamente estratégico para atrair recorrência (de compras). Não dá para ser dominante só com categorias de tíquetes (valores de compras) elevados", disse o presidente-executivo do Magazine Luiza, Frederico Trajano, em apresentação online a analistas.

Na véspera, a companhia divulgou alta de 40% no lucro líquido do quarto trimestre, com um salto de 121% nas vendas do comércio eletrônico. A ação da empresa subia 2,3% às 14h28, enquanto o Ibovespa tinha variação positiva de 1,3%.

Trajano afirmou que a categoria de supermercados representa atualmente metade do varejo nacional, que movimenta cerca de 1,2 trilhão de reais por ano, mas a participação das vendas online na categoria é de apenas 1% o que significa uma "oportunidade gigantesca" para a companhia e rivais.

Além disso, outras categorias que o executivo afirmou que o Magazine Luiza dará mais atenção este ano são moda e beleza, no qual o grupo montou uma equipe exclusiva no ano passado; e entrega de comida e também em serviços financeiros.

Desde abril passado, o Magazine Luiza comprou 10 empresas, na maioria startups de comércio eletrônico, incluindo desde supermercado a cursos profissionalizantes. Segundo o executivo, uma das startups compradas, a Aiqfome, de delivery de refeições, terá serviços integrados ao superapp da companhia ainda neste ano, ampliando a rivalidade em um mercado já disputado por empresas como iFood, Uber Eats e Rappi.

Em abril, a companhia deve lançar um cartão de crédito sem anuidade integrado com o superapp, reforçando seu ecossistema e apelo aos usuários.

Estas frentes, aliadas a outras, devem fazer o investimento orgânico da companhia ter uma "aceleração significativa" este ano, disse Trajano, evitando fazer projeções de margens de lucro e de lucro operacional (Ebitda) para 2021.

Segundo o executivo, não é possível ser relevante no comércio eletrônico sem uma plataforma que inclua produtos de preços menores, como as oferecidas por supermercados. Por isso, a empresa tem como estratégia trabalhar com muitos parceiros locais, de modo que os produtos não precisem viajar grandes distâncias para chegar aos consumidores.

"Mercado não precisa ter um 'economics' maravilhoso. É só não destruir a caixa que ela é uma categoria que cumpre seu objetivo estratégico", disse Trajano. Ele se referiu à importância da frequência de compras dos consumidores, algo que tem sido perseguido por rivais como B2W, que também aposta em delivery e na categoria de supermercados para manter os clientes conectados à sua plataforma.

Para Trajano, as tendências de impulso ao comércio eletrônico de 2020 devem se manter em 2021. Ele chegou a avaliar que as medidas de restrição à movimentação da população no país possam se arrastar "talvez até o final deste ano".

Notícias Relacionadas
 CNT realiza pesquisa para avaliar o impacto das enchentes no Rio Grande do Sul sobre as empresas

24/05/2024

CNT realiza pesquisa para avaliar o impacto das enchentes no Rio Grande do Sul sobre as empresas

Para que a CNT (Confederação Nacional do Transporte) desenvolva medidas de apoio mais eficazes aos transportadores impactados pelas enchentes no Rio Grande do Sul, a Confederação está re (...)

Leia mais
 Estudo sobre frotas sustentáveis aponta inovação e investimento sem precedentes em momento de transição energética ativa

24/05/2024

Estudo sobre frotas sustentáveis aponta inovação e investimento sem precedentes em momento de transição energética ativa

Agora em sua quinta edição, o relatório State of Sustainable Fleets 2024, divulgado nesta segunda-feira (20), lança luz sobre um setor que está passando por um momento de transição ativa (...)

Leia mais
 JSL investe em simulador de direção para mais segurança dos motoristas

23/05/2024

JSL investe em simulador de direção para mais segurança dos motoristas

Com foco na segurança e treinamento de sua equipe de motoristas, a JSL, empresa com o maior portfólio de serviços logísticos do país, investiu R$ 2 milhões na aquisição de um simulador d (...)

Leia mais

© 2024 ABOL - Associação Brasileira de Operadores Logísticos. CNPJ 17.298.060/0001-35

Desenvolvido por: KBR TEC

|

Comunicação: Conteúdo Empresarial

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.