11/03/2022

Interrupção das vendas de fertilizantes da Rússia não é ‘absoluta’, diz Itamaraty

 Interrupção das vendas de fertilizantes da Rússia não é ‘absoluta’, diz Itamaraty


O diretor do Departamento de Promoção de Energia, Recursos Minerais e Infraestrutura do Ministério das Relações Exteriores, embaixador Alex Giacomelli da Silva, disse ontem que “não há impeditivos absolutos no comércio de fertilizantes da Rússia para o Brasil”. O Itamaraty tem monitorado a situação no Leste Europeu em contato com a embaixada brasileira em Moscou.

As informações repassadas à diplomacia em Brasília são de que os empresários russos tentam driblar as travas financeiras e logísticas, causadas pela guerra, para continuar exportando adubos ao Brasil. Entre as iniciativas estão o uso de bancos e traders de outros países que não sancionaram a Rússia para fechar negócios e a aceitação pagamento em outras moedas, inclusive o real. Segundo relatos, haveria disponibilidade, embora menor, para a contratação de frete e seguro para os carregamentos por terminais da Rússia, como o de São Petersburgo.

“É uma situação que pode mudar a qualquer momento", ressaltou o diplomata em audiência pública na Comissão de Agricultura do Senado.

Silva lembrou que a União Europeia aplicou sanções pessoais a alguns empresários russos do setor mineral, como os presidentes das companhias de fertilizantes Uralkali e PhosAgro, duas grandes fornecedoras do Brasil. O impacto das medidas ainda está sendo avaliado.

O Itamaraty analisa, também, o regime de embargos à Rússia. “São sanções unilaterais, que não foram aprovadas pelo Conselho de Segurança da ONU nem são reconhecidas pelo Brasil. Mas o fato é que causam impacto, tanto as sanções quanto os efeitos secundários”, afirmou.

No primeiro bimestre de 2022, o Brasil importou US$ 2,8 bilhões em fertilizantes. No sábado, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, embarcará para o Canadá para conversar com produtores de potássio.



Fonte: Valor Econômico

Notícias Relacionadas
 Demanda por galpões deve se acomodar em 2023

26/01/2023

Demanda por galpões deve se acomodar em 2023

O setor de galpões logísticos e industriais do país teve um 2022 intenso em novas entregas. Segundo a consultoria JLL, o novo volume que chegou ao mercado no ano passado foi de 3,1 milhõ (...)

Leia mais
 ANTT sanciona reajuste de 8,35% a 13,19% no piso mínimo de frete rodoviário

24/01/2023

ANTT sanciona reajuste de 8,35% a 13,19% no piso mínimo de frete rodoviário

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aprovou a alteração semestral do piso mínimo de frete rodoviário, proposto pelo Anexo II da Resolução 5.867/2020 instituído pela Polít (...)

Leia mais
 CNT divulga análise sobre o orçamento público para infraestrutura de transporte em 2023

24/01/2023

CNT divulga análise sobre o orçamento público para infraestrutura de transporte em 2023

Pela primeira vez em anos, a programação de investimentos públicos destinados ao transporte foi elevada consideravelmente. O orçamento da União para o setor em 2023 é de R$ 18,7 bilhões, (...)

Leia mais

© 2023 ABOL - Associação Brasileira de Operadores Logísticos. CNPJ 17.298.060/0001-35

Desenvolvido por: KBR TEC

|

Comunicação: Conteúdo Empresarial

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.