12/08/2022

Economia desaquece e reduz pressão logística

 Economia desaquece e reduz pressão logística



O caos logístico provocado pela pandemia não terminou, porém, há sinais de melhora. Segundo especialistas e empresas, os fretes continuam elevados, mas problemas como a falta de contêineres e atrasos nas escalas dos navios se atenuaram nas últimas semanas na costa brasileira - mesmo em meio ao pico da temporada do comércio global.


“A logística começa a voltar à normalidade”, afirma Leandro Barreto, sócio da consultoria Solve Shipping. De acordo com ele, o cancelamento de viagens caiu muito e as rotas estão voltando à programação regular.


No auge da crise global, além da disparada dos fretes, importadores e exportadores brasileiros sofreram com a falta de espaço nas embarcações, o que atrasou ou cancelou a saída e recebimento de cargas.


Um fator que tem contribuído para mudar esse quadro é a desaceleração da economia na Europa e nos Estados Unidos. Com isso, amplia-se a capacidade de navios e contêineres na costa brasileira, explica Luigi Ferrini, vice-presidente da Hapag Lloyd. “Em 2020 e 2021, muito da capacidade estava sendo destinada a outras rotas globais”, diz.


Na Maersk, a projeção é que a demanda global por contêineres permaneça estável em 2022, na comparação anual. Porém, em seu relatório trimestral, a empresa de navegação aponta para a possibilidade de queda nos volumes, em razão tanto da inflação como do risco de recessão global.


Rafael Dantas, diretor da importadora Asia Shipping, afirma que a redução de demanda interna ainda não é percebida no Brasil. E destaca que o valor dos fretes para contêineres segue elevado e não deve recuar tão cedo.


Em julho, por exemplo, o frete de importação da Ásia era de US$ 10.550 por contêiner de 40 pés. Já para os contêineres refrigerados, o preço na mesma rota chegava a US$ 8 mil. Em janeiro de 2020, os valores eram de US$ 2.050 e US$ 3.100, respectivamente, segundo dados da Solve Shipping, divulgados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).


Fonte: Valor Econômico



Notícias Relacionadas
 Em um mês, Minfra intensifica ações para impulsionar transporte ferroviário pelo país

04/10/2022

Em um mês, Minfra intensifica ações para impulsionar transporte ferroviário pelo país

Pelo segundo ano consecutivo, o Ministério da Infraestrutura dedicou o mês de setembro a ações que incentivam a modernização do transporte sobre trilhos no país e a ampliação da malha fe (...)

Leia mais
 Rodovias e frota levam Brasil à perda de 30% de combustível

04/10/2022

Rodovias e frota levam Brasil à perda de 30% de combustível

A logística no Brasil precisa de intervenções urgentes nos próximos 15 anos para não entrar em colapso. Mesmo com um território continental, 62% de toda carga é transportada por rodovias (...)

Leia mais
 Grupo Coopercarga adquire o controle da TSV Transportes Rápidos

04/10/2022

Grupo Coopercarga adquire o controle da TSV Transportes Rápidos

Foi celebrado, na semana passada, o contrato de compromisso para aquisição pelo Grupo Coopercarga do controle da empresa TSV Transportes Rápidos, que atua com cargas fracionadas de alto (...)

Leia mais

© 2022 ABOL - Associação Brasileira de Operadores Logísticos. CNPJ 17.298.060/0001-35

Desenvolvido por: KBR TEC

|

Comunicação: Conteúdo Empresarial

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.