13/05/2022

Corredor entre Atlântico e Pacífico reduziria em 30% os custos de transporte de carga até a China

 Corredor entre Atlântico e Pacífico reduziria em 30% os custos de transporte de carga até a China



Durante a abertura do Fórum Internacional de Logística Multimodal Sustentável (FILMS), em Foz do Iguaçu, nesta quarta-feira (11), João Carlos Parkinson de Castro, ministro da carreira diplomática do Ministério das Relações Exteriores, defendeu a implantação do corredor ligando os oceanos Atlântico e Pacífico para reduzir distâncias e o custo do transporte para o acesso a mercados.


Estudos da pasta apontam que a rota poderia reduzir 30% os custos de transporte de cargas entre Brasil e China, além de reduzir em 23% o tempo de viagem. Para o diplomata, um corredor Bioceânico Multimodal de Capricórnio, ligando portos do Chile ao de Paranaguá, conectando Argentina e Paraguai, garantiria melhor acesso aos mercados asiáticos, favorecendo o desenvolvimento da indústria de transformação no Paraguai e a exportação de produtos com mais valor agregado.


“Produtos brasileiros, paraguaios, argentinos e chilenos serão exportados para Ásia, Costa Oeste das Américas, Peru, Colômbia e Equador com maior eficiência e menor custo e tempo”, disse ele, destacando que a iniciativa poderia fomentar um polo industrial e agrícola no entorno de Foz do Iguaçu.


Castro lembrou a escalada do custo do frete marítimo na atual conjuntura internacional, além da dificuldade de encontrar contêineres. Para ele, corredores logísticos como o proposto responderiam a essas questões.


Coordenador do evento logístico, Danilo Vendruscolo afirmou que os países têm boas condições para levar seus produtos aos grandes mercados mundiais e a criação do Corredor Bioceânico Multimodal de Capricórnio, poderia reduzir em “30% os custos para o transporte de cargas e atrair investimentos”. Entretanto, Vendruscolo salientou que é preciso evoluir em novas soluções logísticas.


Ao que indica, os países têm interesse no projeto. Segundo o embaixador do Paraguai no Brasil, Juan Ángel Delgadillo, o governo de seu país está à disposição para contribuir com soluções logísticas na região, já que o país vizinho não tem saída para o mar e a rota ajudaria a escoar seus produtos.


“Nós, dos governos, temos o papel de ser a voz para levar as demandas à prática, trabalhando sempre juntos, setor público e privado”, declarou.


O cônsul da Argentina em Foz do Iguaçu, Alejandro Massucco, mencionou que o corredor bioceânico será um indutor para o comércio e os transportes. “O futuro está na integração de nossos povos. Nessa época difícil, com o mundo precisando de alimentos, Brasil, Paraguai e Argentina são produtores por excelência. Com uma integração inteligente, não vamos parar”.


Fonte: Valor Econômico



Notícias Relacionadas
 ABOL participa de Congresso sobre o mercado de carbono

20/05/2022

ABOL participa de Congresso sobre o mercado de carbono

A ABOL marcou presença no Congresso Mercado Global de Carbono, que teve início na última quarta-feira (18), no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro. A Associação foi representada pela dire (...)

Leia mais
 Pesquisa sobre Mulheres na indústria marítima mostra desigualdade entre gêneros

20/05/2022

Pesquisa sobre Mulheres na indústria marítima mostra desigualdade entre gêneros

O emprego feminino continua baixo em funções marítimas, de acordo com dados da IMO e da primeira pesquisa de mulheres no mar da WISTA. Mas a representação feminina é forte em alguns seto (...)

Leia mais
 BBM Logística segue em forte ritmo de expansão e atinge novo recorde de faturamento

20/05/2022

BBM Logística segue em forte ritmo de expansão e atinge novo recorde de faturamento

A BBM Logística, um dos maiores operadores logísticos do modal rodoviário do Mercosul, anunciou recentemente os resultados do 1º Trimestre do ano de 2022, que foi marcado pelo faturament (...)

Leia mais

© 2022 ABOL - Associação Brasileira de Operadores Logísticos. CNPJ 17.298.060/0001-35

Desenvolvido por: KBR TEC

|

Comunicação: Conteúdo Empresarial

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.