Selo ABOL

« voltar para notícias17º Fórum Nacional Santos Export 2019

17º Fórum Nacional Santos Export 2019

Evento para o setor logístico portuário acontece em outubro

O sistema de Portos do Brasil vive um momento crucial. Os setor quer consolidar a identidade na escolha da modelagem do processo: privado e sob concessão pública. É neste cenário que acontece o 17º Fórum Nacional Santos Export 2019. O evento nacional, marcado para acontecer nos dias 8 e 9 de outubro próximo, visa discutir a expansão do setor logístico.

Com organização da UNA Marketing Eventos, o objetivo do Fórum é reunir autoridades públicas, dirigentes de entidades privadas e representantes de todos os segmentos que englobam a gestão do fluxo de cargas do setor portuário, comércio exterior e operadores logísticos.

Segundo o Fabrício Julião, diretor da UNA, o sistema portuário brasileiro vive um momento de grandes definições e o objetivo é contribuir na busca de soluções para ajudar o setor a consolidar sua identidade como um dos maiores do país. “Quando se discute a implantação nos portos de gestões técnicas de autoridades portuárias que incentivem novas licitações, ampliando a participação da iniciativa privada, é preciso entender que novos caminhos exigem ampla reflexão e estudos aprofundados”, afirma Julião.

Esse ano o Santos Export resolveu ampliar o leque dos debates e o espectro de atuação, incluindo temas como: operações logística, multimodalidade, tecnologia, gestão, regulamentação e as barreiras que travam o comércio exterior. “Queremos um evento proativo que possa contribuir para iluminar todas essas questões. Além de ser realizado em Brasília, outras novidades são a parceria de mídia e conteúdo com o Grupo Folha de S.Paulo e a criação de um Comitê Orientador formado por especialistas de todas essas áreas contempladas no evento”, comemora o diretor da organizadora do Forúm.

 Fabrício Julião, diretor da UNA

Aproveitando a experiência das edições anteriores, a UNA Eventos considerou importante para o Santos Export 2019 estabelecer uma pauta que, além de tratar do Novo Modelo Portuário Brasileiro, debatesse a logística como um todo, dando ênfase à multimodalidade. Para isso, foi criado o Comitê de Orientação que vai ajudar a organizar a programação do evento.

Segundo José Roberto Campos, coordenador do comitê de orientação, o grupo vai estudar os temas a serem analisados nos dois dias do evento, bem como escolher os palestrantes e o formato dos painéis. Para a formação do comitê foram convidados profissionais com grande conhecimento dos temas que estão presentes na logística.

“Em nossa primeira reunião, debatemos o formato dos dois dias do evento e iniciamos a escolha dos temas. Nas edições anteriores, o Santos Export trouxe a discussão de pautas altamente relevantes para o setor portuário, que influenciou decisões políticas e administrativas, bem como possibilitou, em suas viagens técnicas, ver e adquirir conhecimentos modernos que foram aplicados no setor. Esse ano queremos um Santos Export mais abrangente e que possamos aproveitar o momento de ruptura nas políticas públicas para ter influência nas mudanças que estão por vir”, afirma José Roberto Campos.

 

José Roberto Campos, coordenador do comitê de orientação

Segundo ele, todos os integrantes do grupo têm muita experiência teórica e prática com o tema e certamente acontecerão palestras bem diferentes das últimas edições, mapeando os principais pontos para dar um salto efetivo na área de logística no país, que é uma das áreas mais importantes relacionadas ao custo Brasil na questão do comércio exterior.

Segundo Fabrício Julião, diretor da UNA, as reuniões com os integrantes do Comitê Orientador estão ajudando a selecionar nomes e temas para a programação que será definida em breve. O Santos Export terá painéis com a participação de autoridades federais, dirigentes de entidades públicas e privadas de todos os setores ligados aos portos, à logística e à economia que permitirão melhor entendimento aos participantes do que se espera para o presente e o futuro do sistema.

Esse ano o Santos Export traz muitas novidades na programação. Uma delas é que em 8 de outubro, primeiro dia do evento em Brasília, haverá apresentações específicas de algumas entidades sobre seus setores. Inicialmente, o CENTRONAVE - Centro Nacional de Navegação Transatlântica, representante dos armadores; em seguida, a ABOL - Associação Brasileira dos Operadores Logísticos, que terá uma hora e meia para falar sobre o setor e cenário dos operadores logístico no Brasil. No mesmo dia, representante da FIESP - Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) falará sobre a indústria e a CNT - Confederação Nacional de Transportes discorrerá a respeito de tecnologia aplicadas aos transportes em geral.

A diretor presidente da ABOL faz parte do Comitê de Orientação. Segundo Cesar Meireles, a ABOL ficou muito honrada com o convite para compor o comitê e também participar como apoio institucional do evento. Meireles diz ter expectativa positiva sobre o evento e afirma pensar que o momento é de integração. “Temos uma máxima na ABOL de que logística integrada é pleonasmo vicioso. Não há mais espaço para que os setores de fechem em si. Olhar os segmentos de transporte e logística de forma fragmentada, de maneira hermética, é anacrônico, é uma leitura ultrapassada, sobretudo em um país que precisa urgentemente integrar suas regiões através da multimodalidade”, completa.

Cesar Meireles, diretor presidente da ABOL

 “O Fórum Nacional Santos Export já é um evento consagrado estando em sua 17º edição. Ele reúne os mais importantes atores da área portuária. Este ano, a organização do evento, na busca de voltar-se à vanguarda da logística, em um momento em que a multimodalidade e todos os elos da cadeira logística se fazem absolutamente necessários para que o Brasil retome o crescimento, traz um olhar clarividente de fazer com que o evento transcenda a questão unicamente portuária, ou seja, avance além da fronteira do porto. Claro que a atividade portuária sempre será relevante sobretudo para um país de dimensão continental, com 8 mil km de costa. A visão portuária moderna de integração também passa por aí. Nesta ótica, na busca pela multimodalidade, também estamos preocupados em disseminar e discutir a cabotagem e a integração dos portos. O Brasil é um pais com uma larga dimensão e precisa trazer para a agenda a pauta da integração modal”, afirma Cesar Meireles.

Como é tradição do evento, que se amplia com visitas técnicas a portos do exterior, este ano está programada a ida ao Porto de Singapura, o terceiro maior complexo portuário do sudeste asiático em movimentação de cargas. A visita acontece no período de 30 de agosto a 7 de setembro de 2019. Singapura é um país muito forte no setor de logística, que movimenta em contêineres quase dez vezes o que movimenta o Porto de Santos nas operações portuárias. “É um país pequeno, mas é uma porta de entrada logística e financeira da América Latina e outras partes do mundo para a Ásia. Queremos mostrar também o lado comercial e de inovação tecnológica de Singapura”, comemora Fabrício Julião, diretor da UNA.  

A 17ª edição terá abrangência nacional. Hoje, o setor portuário envolve 95% do nosso comércio exterior, o que demonstra a sua importância para a economia do Brasil. A participação dos especialistas e autoridades convidados dará luz para as discussões e para as novas oportunidades que se abrem neste novo governo.

Mais informações: www.forumsantosexport.com.br


(Para upload de curriculum,
acesse o site via desktop)