Pular para o conteúdo
Notícia

União destaca nova fase de leilões

...

O governo retoma hoje a agenda de leilões do setor de transportes com a sexta rodada de concessões de aeroportos. Será negociada a transferência para a iniciativa privada de 22 terminais agrupados em três blocos. Dentro da programação do chamado “Infra Week”, o governo pretende negociar, até sexta-feira, o total de 28 ativos, que inclui projetos no setor portuário e ferroviário.

Ontem, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, fez questão de demonstrar otimismo com a participação ativa de investidores nos certames. Ele considera que esta sequência de leilões marca um novo ciclo de estruturação dos projetos de infraestrutura, que corrige erros do passado e conta com ampla aceitação do mercado.

Se forem arrematados no leilão, os ativos que ofertados nestes três dias deverão render R$ 10 bilhões em investimentos e gerar 208 mil empregos. Em valor de outorga, o governo deverá receber apenas R$ 642 milhões.

Na abertura oficial do “Infra Week”, Tarcísio destacou que o foco principal não é gerar receita para o governo, mas investimento, emprego e redução do custo de logística no Brasil.

“Aos poucos a gente vai se tornar cada vez mais competitivo. Aquela máxima de país que é eficiente só da porteira para dentro, e não eficiente da porteira para fora, vai ficando no passado”, disse o ministro.

Amanhã, o governo realizará o leilão do primeiro trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), entre as cidades baianas de Ilhéus e Caetité. Estão previstos R$ 3,3 bilhões de investimentos privados, sendo R$ 1,6 bilhão para a conclusão das obras. O projeto, no entanto, sofre críticas de ambientalistas.

Na sexta-feira, será vez do leilão de arrendamento de cinco terminais portuários. São quatro no Porto de Itaqui, no Maranhão, em áreas voltadas ao armazenamento de granéis líquidos, e um no Porto de Pelotas, no Rio Grande do Sul, para carga em geral, especialmente madeira.

Voltar ao topo