Pular para o conteúdo
Notícia

Empresários e poder público destacam importância do Fórum Brasil Export para o desenvolvimento do setor

...

Esperança, otimismo e trabalho. Essas devem ser as palavras que vão permear o ano de 2021 para os setores portuário, de infraestrutura e logística brasileiros. Durante o lançamento do Fórum Brasil Export, ocorrido em 24 de fevereiro corrente, empresários e representantes do poder público se mostraram preparados para os novos desafios que estão por vir após um 2020 atípico, porém repleto de grandes conquistas e recordes surpreendentes no setor.

Com uma agenda que promete amplos e decisivos debates, o evento vai trazer à tona assuntos relevantes, como investimentos, navegação fluvial, expansão da malha ferroviária, cabotagem, mudança da legislação aduaneira, modernização de marcos regulatórios, e desestatização. O encontro nacional está marcado para os dias 28 e 29 de setembro, em Brasília. No entanto, este mês já tiveram início algumas das mais de 100 reuniões online dos conselhos regionais, previstas para 2021.

Além disso, estão programadas mais de 50 lives, seis eventos das regiões Norte, Sul, Sudeste, Nordeste e Centro Oeste, além do Santos Export. Três missões internacionais em Portugal, Singapura e Emirados Árabes também integram o cronograma apresentado pelo CEO do Brasil Export, Fabricio Julião, anfitrião do encontro organizado para o lançamento do Fórum no formato híbrido, ou seja, com participantes presenciais e virtuais.

O presidente da ABOL – Associação Brasileira de Operadores Logísticos, Cesar Meireles, foi um dos que acompanhou o evento pela internet. Membro do Conselho Nacional do Brasil Export, o executivo acaba de aceitar o convite para presidir o Conselho Internacional do Brasil Export, reforçando a importância da sua participação nas questões que envolvem esse mercado, diante da sua vasta experiência e atuação no segmento.

O secretário Nacional de Portos, Diogo Piloni, também fez questão de se posicionar e mostrar a necessidade do Fórum ser utilizado como um espaço agregador entre consultores, empresários e formadores de opinião. “O Brasil Export tem nos permitido aprimorar, desenvolver o que temos de propostas, seja de medidas normativas, legais e priorização de políticas. Para este ano, a expectativa é de continuidade aos inúmeros objetivos que temos dentro do ministério, com previsão de 20 leilões, a primeira desestatização, aprovação da BR do Mar no senado, entre outros”, destacou Piloni.

Ele acredita no cumprimento de um dos principais objetivos do setor, ou seja, a racionalização da matriz logística brasileira, com a otimização dos modais. “A cabotagem tem um lugar de destaque dentro dessa logística. Também queremos discutir um programa de incentivo à navegação interior e vejo o Brasil Export como um espaço fundamental de discussões”.

O senador, Wellington Fagundes (PL/MT), apontou os problemas sérios encontrados atualmente, devido ao baixo investimento em infraestrutura. Nesse cenário, ele ressaltou a PEC 01/2021, apresentada há poucos dias no Senado, propondo uma mudança na Constituição para determinar que, pelo menos, 70% dos recursos obtidos com outorgas onerosas de obras e serviços de transportes sejam reinvestidos no próprio setor.

“Precisamos expandir a infraestrutura, ainda mais num país como o Brasil, prioritariamente rodoviário. O orçamento previsto para este ano ainda é muito pequeno para a necessidade e manutenção da malha. Precisamos forçar o Ministério da Economia, fazer com que os recursos sejam direcionados”, mencionou. O parlamentar aproveitou para destacar a importância do papel dos transportadores na logística da vacina contra o Covid-19 para que cheguem a todos os cantos do País. “A disposição em fazer isso de forma gratuita ao governo demonstra a responsabilidade social de todos para ajudar o Brasil a crescer”.

O secretário-executivo do Ministério da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, observou o Fórum como um local de discussão marcado pela riqueza de informações. O representante da pasta federal também abordou a transformação do setor portuário e a expectativa positiva até 2022 quando será encerrado o primeiro mandato do governo atual. “Este ano será de muitas vitórias e temos um longo caminho a navegar. Em janeiro, o Porto de Santos cresceu mais de 10% e ontem homologamos um navio de 360 metros para operar. Isso significa aumento de capacidade e redução de custos. O nosso país é vocacionado para estar entre os maiores”.

O próximo lançamento, do Sudeste Export, está marcado para o dia 15 de março. Em seguida, 6 de abril, acontece o do Nordeste Export.

Dentro dessa agenda que se mostra bastante dinâmica, mesmo sob o forte impacto da pandemia, que segue em níveis alarmantes, a ABOL dedica-se enfaticamente para a tramitação do Projeto de Lei nº 3.757/2020, de autoria do deputado federal Hugo Leal, que trará, certamente, maior segurança jurídica para os operadores logísticos e o setor em geral. Hoje, o PL encontra-se na CVT (Comissão de Viação e Transporte) da Câmara dos Deputados, aguardando a indicação da sua relatoria.

Com essa agenda, a ABOL mostra a sua atuação firme e o seu compromisso com o desenvolvimento do setor.

Saudações.

Cesar Meireles

Diretor Presidente | CEO

Voltar ao topo