Pular para o conteúdo
Notícia

Campanha defende construção de túnel subterrâneo entre Santos e Guarujá (SP)

...

Ideia é desafogar o tráfego e aquecer a economia da região

Para atender a um desejo antigo da população de Santos e do Guarujá, no estado de São Paulo, desafogar o trânsito e impulsionar os negócios da região, principalmente no Porto de Santos, foi lançada, nessa quinta-feira (24), a campanha “Vou de Túnel”. Criada por um pool de empresas e com apoio da AEAS (Associação de Engenheiros e Arquitetos de Santos), ela defende que se construa um túnel subterrâneo que ligue as duas cidades como solução para a ligação seca entre os municípios, preservando a operação portuária.

O ex-presidente da Autoridade Portuária de Santos e defensor do projeto, Casemiro Tércio Carvalho, cita que várias discussões técnicas já foram feitas e que o túnel trará melhoria para as pessoas que precisam fazer o deslocamento diariamente. “O túnel respeita o cidadão e o urbanismo, além do canal de navegação do porto. São 30 mil passageiros por dia utilizando as barcas. O transporte sobre trilhos melhorará a qualidade do transporte. Fizemos uma revisão do custo do projeto, e ele ficou em R$ 2,5 bilhões. O custo do VLT está incluso no investimento.”

Com 1,7 km e três pistas, o túnel faria o trajeto entre as duas cidades ser de apenas cinco minutos. Atualmente, de carro, a viagem gira em torno de 50 minutos e de até duas horas de balsa. Ainda está prevista uma via exclusiva para o VLT.

Caso saia do papel, a iniciativa atenderá mais de 40 mil pessoas por dia. Calcula-se, ainda, a redução de 72 toneladas de emissão de monóxido de carbono por ano.

O professor do Departamento de Geotecnia da Escola de Engenharia da USP (Universidade de São Paulo), Tarcísio Barreto Celestino, cita que o túnel seria a melhor solução e que o prazo para sua construção ficaria em torno de dois anos. “A solução subterrânea é a melhor. Faz uma década que estamos estudando o projeto. Será uma estrutura muito segura e funcional em uma construção que não passaria de dois anos, podendo o prazo ser até encurtado.”

De acordo com o projeto, o túnel imerso não traria diferença para a circulação dos navios que diariamente abastecem o porto de Santos, e a ligação seria feita em um ponto estratégico para que os moradores não tenham que sair da cidade para fazer a travessia.

Casemiro Tércio Carvalho explica, também, que é preciso escolher um modelo ideal para o projeto. “Já existe uma licença ambiental. O próximo passo é ver qual o modelo de implementação. Para colocar em prática, seria necessária uma concessão pura ou uma PPP (Parceria Público-Privada), com contrapartidas, ou colocar esse ativo dentro da desestatização do porto de Santos. Hoje, dois terços da economia da cidade vêm do porto.”

O especialista em túneis do Brasil e diretor da AEAS (Associação de Engenheiros e Arquitetos de Santos), Eduardo Lustoza, fala que é necessário atuar junto aos poderes legislativos para alcançar a execução da iniciativa. “É preciso ter a melhor opção de custo-benefício. O maior porto da América Latina precisa da melhor solução. Chegamos ao ponto de fazer essa campanha para mostrar para a sociedade e para os políticos como melhorar a situação diária. A região tem potencial de contribuir com o país com a integração Santos/Guarujá. Temos uma petição e pretendemos que ela chegue ao governo federal para que possamos sensibilizar os governantes”, relata.

Fonte: CNT

Voltar ao topo