Pular para o conteúdo
Notícia

Armadores de porta-contêineres têm ano inesperadamente bom

...

Taxas de frete descontroladas no segundo e terceiro trimestres fizeram os analistas se esforçarem para reescrever as previsões pessimistas publicadas até junho

As taxas de frete descontroladas no segundo e terceiro trimestres fizeram os analistas se esforçarem para reescrever as previsões pessimistas publicadas até junho, passando a prever o que promete se tornar o ano mais lucrativo da indústria de navegação já registrado.

Taxas crescentes da Ásia para os EUA e sinais de recuperação em outras rotas comerciais importantes levaram Lars Jensen, cofundador do grupo de consultoria Sea-Intelligence, a reformular sua previsão, com indicação de lucratividade geral pela segunda vez em dois meses. O cenário mais otimista aponta para lucros de US$ 15 bilhões se as linhas conseguirem replicar seus resultados do primeiro semestre.

As operadoras mudaram completamente a forma como operam seus negócios e conseguiram navegar de forma muito sólida durante a crise da pandemia, uma habilidade que provavelmente continuarão a exercer no futuro. Segundo Larsen, o poder de precificação das operadoras aumentou.

As taxas de frete não mostram sinais de desaceleração e o cenário do último trimestre do ano é imprevisível. As taxas atingiram níveis recordes após sete semanas consecutivas de aumentos na rota do Pacífico.

Embora as taxas crescentes tenham sido em grande parte uma característica do que agora é a via de comércio mais importante do mundo, uma experiência semelhante está sendo sentida agora em outras vias de comércio leste-oeste e norte-sul.

Esta semana, as taxas registradas no Shanghai Containerized Freight Index entre a Ásia e a costa leste da América do Sul saltaram de US$ 2.223/TEU para US$ 2.901/TEU, uma recuperação de 31% em relação à semana anterior.

Fonte: (Portos e Navios)

Voltar ao topo