Pular para o conteúdo
Notícia

Aeroporto Internacional de Belo Horizonte se consolida como hub logístico

...

O Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, localizado em Confins, na região metropolitana (RMBH), se consolida cada vez mais como um hub logístico multimodal e de abrangência internacional.

Conforme dados da Receita Federal, o Aeroporto movimenta mais de 26,2 milhões de kg de carga por ano e o valor FOB (valor de mercadorias) chega a US$ 6,84 bilhões. Além disso, são mais de 31 mil processos liberados anualmente, quase o dobro do segundo colocado do ranking, o Centro Logístico Industrial Aduaneiro Betim/MG (CLIA), com cerca de 16 mil processos.

Marcelo Farias, gestor de Soluções Logísticas Integradas da BH Airport, ressalta que Confins é a principal porta de entrada do Estado. “Se você olhar as estatísticas da Receita Federal, em valor FOB, nós somos a principal porta de entrada do Estado. Hoje nós temos mais ou menos 49% do mercado aéreo de Minas Gerais, então isso mostra a grandeza do nosso aeroporto”, disse.

Operação especial para receber o Antonov AN-124
Na última semana, o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte recebeu o segundo maior cargueiro do mundo — Antonov AN-124. O avião, que tem 69 metros de comprimento e 73 metros de envergadura, suporta peso máximo de 150 toneladas e transportava o equipamento da mineradora Anglo American chamado munhão.

Segundo a mineradora, o munhão transportado pesa cerca de 51,5 toneladas e é a peça que compõe o moinho de bolas. O equipamento é responsável pela sustentação da carga de polpa, do corpo moedor e do peso do próprio moinho e é usado em uma das etapas do processo de redução do minério de ferro.

Foi a primeira vez, em sete anos de concessão da BH Airport, que Confins recebeu o Antonov. Para que isso fosse possível, a operação envolveu diversas áreas do aeroporto, quatro empresas parceiras e, aproximadamente, cinquenta profissionais. Também foi realizado um briefing de segurança para toda a equipe que iria participar do processo ao longo do dia.

Por se tratar de uma aeronave de grande porte, houve o isolamento de um pátio inteiro (pátio 3 – que fica em frente ao terminal de cargas) e todas as aeronaves foram rebocadas para outras posições dentro do aeroporto.

“Foi uma operação especial montada por várias áreas, passando pela de soluções de logísticas integradas, de segurança aeroportuária e pela parte de operações aeroportuárias. Na área de logística, nós montamos um plano de trabalho interno com todas as demais envolvidas para que a gente acompanhasse o desenvolvimento de tudo. Envolvemos os órgãos anuentes do aeroporto — Receita Federal, Anvisa, Polícia Federal — através dessas equipes. Houve uma reunião com detalhamento de toda a operação para todos os participantes internos”, detalhou Marcelo Farias.

Oportunidade de mercado
Marcelo Farias acredita que a vinda do Antonov AN-124 tenha sido uma oportunidade para o mercado mineiro e para o país. Ele ainda ressalta que o Aeroporto de Confins conta com soluções e estrutura para receber novas operações desse porte e não só do setor de mineração, como também de outros setores relevantes e representativos.“Buscamos essas operações todos os dias e dentro do conceito de hub logístico multimodal a gente também trabalha com cargas aéreas, marítimas e rodoviárias, ou seja, usamos a estrutura do aeroporto como um facilitador e um provedor de soluções para o mercado mineiro. Então sim, é uma chance para o mercado estadual e para o país, considerando o mercado exterior”, reitera.

Fonte: Diário do Comércio

Voltar ao topo