Selo ABOL

« voltar para publicações

O momento exige TOTAL convergência, cooperação, equilíbrio, lucidez e responsabilidade

Prezados(as) Senhores(as), boa tarde!


Todos acompanhamos por 24hrs ao dia os noticiários, em home office impositivo, dando-nos conta da calamidade pública na qual mergulhamos, parabenizando veementemente todos aqueles profissionais do sistema de saúde, lamentando, contudo, infelizmente, a atitude dos incautos que ainda não querem compreender o tamanho e a extensão do problema no qual estamos imersos.


O mais alarmante é constatarmos que o mandatário do executivo federal, em muito retardou seu ingresso nas discussões sobre o assunto, não tendo, ainda, assumido, verdadeiramente, o manche, o volante, o timão da grave situação! Ao contrário, vem criando polêmicas absolutamente desnecessárias, impróprias, impertinentes e, até certo ponto, desagregadoras! Isso talvez, seja o mais delicado, pois o momento exige TOTAL convergência, cooperação, equilíbrio, lucidez e responsabilidade!


A questão é que não há horizonte de arrefecimento e, todos, absolutamente todos, precisamos ser propagadores das únicas palavras necessárias e imperativas do momento, além das já citadas, como responsabilidade, lucidez, cooperação e equilíbrio, precisamos ser mais solidários, termos mais bom senso, maior engajamento, comprometimento, resiliência e compreensão! Estas são as palavras que os verdadeiros estadistas do mundo todo estão versando, propagando e exercitando!


Não podemos tergiversar! A persistir o quadro, e tudo indica que será mais extenso do que imaginamos, a economia poderá entrar em recessão e, em consequência, pessoas podem vir a ser demitidas, empresas poderão fechar e, todos nós estaremos no polo passivo da situação, assim, a cooperação é condição sine qua non para sobrevivermos.


No último dia 18/03/2020, a chanceler alemã Angela Merkel fez pronunciamento comparando a pandemia do Covid-19 com a 2ª. Guerra Mundial, assim, não há nem haverá ao seu término, vencedores, pois todos, absolutamente todos, teremos perdido, e bastante!


Estamos todos vulneráveis, o vírus não elege sexo, cor, raça, religião, matiz política, ideológica, nível e/ou posição social! Todos nós precisamos estar unidos nas soluções mitigadoras da grave crise.

 

Na ABOL – Associação Brasileira de Operadores Logísticos, por operarmos em todos os estados da federação, temos nos conectado com outras entidades, associações, sindicatos e federações, buscando cooperar, levar e trazer experiências, abrir as portas para que possamos nos fortalecer pela cooperação de todos.


Criamos na ABOL o Comitê de Crise, composto por equipes de advogados, gestores de recursos humanos, operacionais, segurança, saúde e meio ambiente de nossas 32 associadas! O Comitê de Crise funciona ininterruptamente.


Por determinação do secretário de Logística e Transportes, João Octaviano Machado Neto, do Governo do Estado de São Paulo, foi criado o Grupo de Coordenação Logística - Convid-19, do qual estamos participando, e já está em plena operação!


A CNT – Confederação Nacional do Transporte, que congrega as principais entidades que lideram as atividades do transporte em todos os seus modais, portos, aeroportos, pontos de fronteira, armazéns, centros de distribuição, plataformas logísticas, encaminhou ao Presidente da República, uma primeira relação de demandas para que não haja solução de continuidade nos transportes e distribuição de cargas à população.


Enfatizamos, contudo, que se faz mister haver uma sintonia plena, absoluta, do Governo Federal com os Estados e Municípios, pois, não pode haver dispersão de forças e queima de energia nesse momento.


Hoje amanhecemos com o Governo do Estado do Rio de Janeiro, proibindo o transporte de carga aérea no Estado. Ora, além dessa prerrogativa ser do Governo Federal, é preciso que se esclareça que não há no Brasil, aviões cargueiros que atendam o transporte de cargas no largo espectro, como o faz o modal rodoviário, por exemplo, sendo, os porões dos aviões de passageiros, em formato de uso misto (carga e passageiro), que realizam esse transporte.


É o transporte aéreo que atende às urgências médicas de transplantes, de transporte urgente de medicamentos, bem assim outros produtos e insumos de extrema necessidade! Hoje, temos operadores logísticos de carga aérea com aviões dedicados de carga para grandes volumes, que também não podem sofrer restrições, pois, de igual forma, impactará diretamente no abastecimento.


Corroborando o que observamos anteriormente, o Estado de Santa Catarina e o Estado de Fortaleza, chegaram a restringir o trânsito de cargas nos seus territórios, tendo havido, tempestivamente, a reversão dessas medidas restritivas.


Gostaríamos de enfatizar que não se pode interromper nem restringir o transporte de carga em qualquer que seja o seu modal. São os operadores logísticos, as empresas de transporte, os transportadores autônomos, as cooperativas de transportes -, quer atuem no modal rodoviário, aéreo, ferroviário, hidroviário -, que fazem os insumos, as matérias primas os equipamentos e produtos finais chegarem ao mercado, às farmácias, aos hospitais, aos laboratórios, aos supermercados, às casas das pessoas!


É importante destacar, por fim, mas nunca menos importante, a importância de todos esses trabalhadores, motoristas, pilotos, auxiliares e assistentes de logística, agentes de entrega de motofrete (moto-boys), pois, todos, sem exceção, são extremamente essenciais para fazerem tudo girar, garantindo que haja os suprimentos necessários.


A ABOL segue full time em atenção. Todos, em home office, por responsável prevenção, mas estamos ligados a todos os associados e demais entidades que estão, assim como nós, preocupadas e engajadas para que o Brasil não pare!


São Paulo, 20 de março de 2020


Saudações,


Carlos Cesar Meireles Vieira Filho

Diretor Presidente - ABOL

(Para upload de curriculum,
acesse o site via desktop)